domingo, 14 de outubro de 2012

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

IKEBANA

 No dizer de REIKO TAKENAKA , IKEBANA é a hospitalidade do coração, utilizando as mais diversas plantas. Eterna aprendiz que sou, vez em quando me arrisco. Peço perdão às flores se nãoconsegui  me expressar com sensibilidade através destes arranjos.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

De Proust e sopa de abóbora

Nossa amiga Bel Plá postou no Face uma gostosa crônica do Rubem Alves onde ele faz verdadeira apologia das sopas. Lendo- a lembrei-me de uma outra do mesmo autor* sobre memórias. Segundo Rubem nós temos dois tipos de memória: a sem vida própria e a com vida própria. A primeira,a que usamos no dia a dia - nome, endereço, rota pro trabalho; a segunda é aquela do Proust e suas madelaines, podemos chamá-las, mas só vêm quando querem. E foi essa a acionada pelas leituras. Lembranças de criança, nos verões na praia, as sopas no jantar,aquecendo o frio trazido pelos ventos marinhos. A minha preferida - sopa de abóbora. Não me recordo que tipo era usado pela minha mãe. Eu, hoje, uso a verde também chamada "japonesa".Aproveitando o frio e as memórias aí vai a receita. Sopa Cremosa de Abóbora 1 k de abóbora 1l de caldo( carne, legumes)** Temperos a gosto: salsa, cebolinha,cebola, sal e pimenta. Cozinha-se a abóbora no caldo até que fique macia. Deixa-se esfriar e bate no liquidificador. Pode-se acrescentar: leite quente 1x; ou molho branco ralo( 1x leite + 1C de manteiga e 1C de maizena).Mas se você é um gourmet use meia lata de creme de leite. Sirva com tempero verde picado e queijo ralado. * Rubem Alves em O velho que acordou menino ** Eu prefiro fazer o caldo com carne, mas é claro, pode-se usar o em tabletes.